11 novembro 2009

11 DE NOVEMBRO - DIA DE SÃO MARTINHO


Segundo reza a lenda, num dia frio e tempestuoso de Outono, um soldado romano, de nome Martinho, percorria o seu caminho montado no seu cavalo, quando deparou com um mendigo cheio de fome e frio. O soldado, conhecido pela sua generosidade, tirou a sua capa e com a espada cortou-a ao meio, cobrindo o mendigo com uma das partes. Mais adiante, encontrou outro pobre homem cheio de frio e ofereceu-lhe a outra metade. Sem capa, Martinho continuou a sua viagem ao frio e ao vento quando, de repente, como por milagre, o céu se abriu, afastando a tempestade. Os raios de sol começaram a aquecer a terra e o bom tempo prolongou-se por cerca de três dias. Desde essa altura, todos os anos, por volta do dia 11 de Novembro, surgem esses dias de calor, a que se passou a chamar "Verão de S. Martinho".

Nos meus tempos da Escola Primária (foto ao lado) festejávamos o dia de S. Martinho com pompa e circunstância.
Primeiro juntávamos a lenha (ramos de giesta) e depois era só acender uma enorme fogueira de lenha no centro do recreio da Escola. Quando as brasas já estavam bem acesas .... atiravam-se as castanhas lá bem para o meio e em instantes era só tirá-las com um pau comprido para não queimar as mãos e era só descascar e comer. Tarde livre no dia 11 de Novembro e dedicada inteiramente ao magusto. Da primeira à quarta classe a actividade escolar era somente magusto e brincadeira. Ao mesmo tempo que comiamos as castanhas assadas e com as mãos cheias de carvão e cinza era só enfarruscar - pintar a cara do parceiro(a) com carvão e cinza das brasas. Quanto mais carvão (bem preto) e cinza melhor - única coisa à vista da cara - os olhos.
As castanhas abundavam em redor da Escola. Havia, aliás o sítio do castanheiro grande (que actualmente já não existe, já estava muito velhote) - árvore imponente (mais parecia um embondeiro ) mesmo no caminho e junto à nossa Escola e era de lá que eram fornecidas todas as castanhas para o nosso magusto e em grande quantidade (a produção anual era deveras abundante). Além disso era-nos permitido pelo povo da aldeia e professora primária colher essas mesmas castanhas sem qualquer tipo de problema e que nós faziamos a preceito e com especial agrado.
Para a miudagem da Escola este era o nosso dia inesquecível - melhor do que se fosse Feriado Nacional.
O dia 11 de Novembro - Dia de São Martinho - ficará para sempre na nossa memória porque era de facto o grande dia da nossa Escola e de autêntica folia.
Nesse mesmo dia não deixávamos de jogar o nosso torneio de futebol e com uma bola de trapo. Recordo com saudade alguns colegas, infelizmente, já desaparecidos, a quem presto a minha sentida homenagem. Quem não se recorda do saudoso Viriato (avançado centro) da nossa grande (!) equipa de futebol e do Hirondino ? Eram excelentes colegas e amigos.

Sem comentários:

Publicar um comentário